Número total de visualizações de página

terça-feira, 26 de abril de 2011

Chernobyl 25 anos.

Ninguém esquece Chernobyl.
Nem aqueles que apenas relembram á distância,como aqueles que ainda hoje vivem Chernobyl como se os anos não tivessem passado.
Os "senhores do mundo" e em especial o primeiro ministro russo,"acredita" na energia nuclear e pelos vistos é um dos que têm memória curta ou simplesmente não a têm.
Aquilo que aconteceu na Ucrânia há 25 anos atrás,não pode ser apagado de nenhuma memória consciente dos valores da dignidade dos homens.
Hoje, aqueles que viveram durante e após esta catástrofe humanitária,aqueles que ainda restam para contar e aqueles que vieram depois com o estigma de uma atrocidade a que são completamente alheios, não esquecem nem perdoam e continuam hoje, tal com há 25 anos atrás, a sentir na pele as memórias que querem, mas não conseguem apagar defenitivamente.
Nunca é demais recordar aos "senhores do mundo", as mazelas físicas e psicológicas que ainda hoje as vítimas trasnportam consigo.
Mães que perderam filhos na gestação, filhos que nasceram com deficiências que não têm retorno, doenças de toda espécie que ficaram para sempre,
doenças do corpo e doenças do espírito, que nós cá longe não conseguimos imaginar, apenas partilhar a solidariedade, para que ninguém esqueça e possa ficar para lembrança futura.

Sem comentários:

Enviar um comentário